21 de jun de 2017

O impacto dos influenciadores



Kefera Buchmann, 24 anos, é atriz, youtuber, dubladora, apresentadora, escritora e cantora brasileira. A youtuber sempre sonhou em fazer um filme, por isso cursou teatro quando mais nova e criou um canal no YouTube para realizar este sonho. Há cinco anos, este sonho estava distante, porém, em 2016, virou protagonista do filme É Fada!

Este é apenas um dos vários exemplos que temos para mostrar como os influenciadores digitais impactam na vida fora da internet. Porque são pessoas comuns que mostram para pessoas comuns coisas que elas gostariam de viver, porém, por algum motivo, não vivem. É desta forma que funciona o mundo dos influenciadores.

Segundo Pierre Bourdie, o influenciador consegue construir prestígio e destaque num campo quando a gente acumula capital simbólico, que é um capital que relaciona-se ao prestígio, destaque. Desta forma, podemos dizer que o influenciador digital tem destaque entre as outras pessoas e começa a impactá-las de forma positiva.

É a partir da opinião de um blogueiro que o seguidor passa a consumir produtos de determinada marca. É a partir da opinião do influenciador que o seguidor passa a frequentar lojas e lugares determinados. É a partir da opinião do youtuber que o seguidor começa a ler certos livros e artigos. Todo o impacto dos influenciadores digitais surgem a partir da sua opinião.

Para Issaaf Karawahi, o influenciador digital se assemelha a celebridade, por causa da sua forma de comunicar com o público que o segue. Além disso, a jornalista também legitima o influenciador digital como uma nova profissão. "A minha pesquisa de doutorado busca entender como é que se deu a profissionalização da blogosfera de moda no Brasil. Se eu estou investigando a profissionalização de um campo, eu quero dizer que esse campo eclodiu num novo perfil profissional. Então, eu assumo, como pesquisadora de comunicação digital, que as blogueiras de moda são um novo perfil profissional na comunicação", afirma a jornalista.

O impacto dos influenciadores tornou-se tão grande que, além de impactar a vida de milhares de pessoas, os produtores de conteúdo na internet estão transformando isso como uma profissão. O influenciador digital é buscado por empresas grandes para fazer trabalhos em suas plataformas e também está criando cada vez mais legitimidade atualmente.

8 de jun de 2017

Influenciar é formar opinião?



O número de influenciadores digitais cresce a cada dia e, consequentemente, o de seguidores também. Essa estatística vai além de pessoas que começaram a usar a Internet agora, mas sim descobriram um influenciador e decidiram acompanha-lo.

De acordo com o Marcio Cruz, formador de opinião é aquele que tem acesso aos meios de comunicação para usar a palavra no sentido de comunicar a quem lhes der crédito e credibilidade, suas opiniões sobre quaisquer temas ou sobre temas específicos. Portanto, influenciadores digitais possuem essa característica assim que começam a produzir conteúdo.

INFLUENCIADORES DIGITAIS SE CONSIDERAM FORMADORES DE OPINIÃO?

Apesar do número crescente de seguidores, nem todos os influenciadores se consideram um formador de opinião. Kefera Bucmann, youtuber com mais de 10 milhões de inscritos, declarou em um vídeo não ser uma formadora de opinião.

No entanto, influenciadores digitais que estão começando agora possuem uma visão diferenciada da youtuber. O instablogger Junior Frosino acredita que é um formador de opinião, pois suas resenhas trazem resultado para as empresas. Ou seja, os seguidores dele olham seu Instagram e sentem vontade de consumir o produto resenhado.

INFLUENCIADORES DIGITAIS X JORNALISTAS

Jornais estão passando cada vez mais da versão física para a versão digital, por causa da quantidade de pessoas que estão na Internet diariamente. Em razão disto, os jornalistas passaram a informar seus leitores de forma inovadora e com diversos tipos de mídias.

Essa nova forma de produzir conteúdo também é utilizada pelos influenciadores digitais, que abordam diversos temas inclusive sobre o cotidiano - que está mais relacionado ao jornalismo. Porém, escrever sobre o mesmo assunto que um jornalista não significa que ele esteja exercendo a profissão, já que é preciso de apuração dos fatos.

A jornalista Stefanie Carlan, de um grande jornal, afirma que ao comentar sobre o cotidiano influenciador digital pode causar uma nebulosidade. "Essa nebulosidade pode ocorrer na esfera do leitor/espectador que, com pouca educação para o consumo de mídia, eventualmente pode confundir o que é e o que não é jornalismo", explica Carlan.

É preciso que as pessoas distinguam o que é ou não jornalismo, como dito por Carlan. Para a jornalista Issaaf Karawahi, "o mais importante de tudo é entender que esse cara é um novo tipo de trabalhador, digamos assim, da comunicação. Ele não é nem publicitário, nem jornalista, não é nem relação públicas. Ele é influenciador, é blogueiro, é youtuber, são coisas muito específicas".

O influenciador digital exerce um papel diferenciado do jornalista, porque a sua maneira de escrever e se expressar é diferente. Até mesmo do ponto de vista ético, já que o influenciador tem algumas ações que seriam antiéticas para os jornalistas, como receber produtos como forma de pagamento, o famoso "jabá".

10 de dez de 2016

Diário de uma Vaidosa e Feminina



Era uma manhã ensolarada em São Caetano do Sul. Susi, sua cachorra shitzu com poodle, subiu na cama para acordá-la em mais um dia de trabalho. Bruna Pereira Munhoz Nogueira estava pronta para enfrentar mais um dia de inspiração e criação. Levantou-se, tomou o café da manhã, organizou a casa e foi se arrumar para o dia de gravação.

O dia promete ser cheio. A produtora de conteúdo na maior plataforma de vídeos, o Youtube, separa um dia da semana gravar no mínimo cinco vídeos. Seus conteúdos são diversos, mas o foco é Faça Você Mesma - conteúdo que te ensina a fazer artesanatos em geral.

Olhando para ela nem parece a menina tímida que era em seus primeiros vídeos. Bruna é sorridente, carismática e simpática, mas não demonstrava todo seu carisma nos primeiros meses. Era travada, demorava horas para produzir um vídeo de poucos minutos, gaguejava. Ri, ao lembrar deste tempo. Seu marido, Abner Gabriel Nogueira, sempre a incentivou e não deixou que ela parasse de trabalhar.

Suas inspirações também foram o motivo para criar e continuar com o canal. Afinal, ela queria trocar figurinhas com as blogueiras que também produziam vídeos e esperava encontrar pessoas que um dia iriam visitar seu canal, gostar dos mesmos assuntos e conversar com ela sobre eles.

Enquanto se arruma, Bruna já sabe o que irá gravar naquele dia. Apesar de ser 8 horas da manhã, a youtuber já está animada para mais um dia corrido de trabalho, será uma longa jornada. Ela dedica sete horas corridas para gravar e fazer tudo com carinho para as internautas que a segue. Olhando de fora parece fácil, mas só ela sabe o quanto precisa se esforçar para produzir um conteúdo bom e de qualidade.

Está pronta. Seus cabelos loiros longos estão lisos, a maquiagem está impecável e ressalta os traços delicados do seu rosto, os olhos são marcados com delineador para enfatizar o olhar e o batom é escolhido conforme o tema do vídeo. Mas ela ainda não começa a gravar.

Para pra postar alguma coisa no Snapchat, uma rede social que mostra o que você está fazendo naquele momento através de fotos e vídeos, e vai arrumar o cenário. O escolhido é o closet, seu lugar favorito da casa. Ao fundo, existe a penteadeira branca cheia de potes com pincéis de maquiagem e perfumes.

Bruna sempre foi apaixonada por maquiagem, aliás, por tudo que fosse feminino e delicado. Não é por acaso que seu blog e canal chamam “Vaidosa e Feminina”, expressões que descrevem exatamente a produtora de conteúdo.

Ela escolheu o lugar, agora é preciso arrumar a iluminação e a câmera. Pega as softbox’s, pega a câmera, coloca cada uma das duas softbox’s em um canto do cenário e a câmera no meio. Senta, tira uma foto para testar a iluminação e o ângulo. Não ficou bom. Levanta, arruma e tenta de novo.

Respira fundo. O dia está apenas começando e será bem longo. Tudo pronto. Agora vai. “Oi pessoal”, diz com a voz meiga. É assim que Bruna inicia os seus vídeos, com uma frase simples e que seus seguidores adoram. Começa a gravação dos vídeos.

O primeiro vídeo está pronto. Bruna precisa esvaziar o cartão de memória, reposicionar a câmera e as luzes e ir para o próximo vídeo, mas o sorriso delicado não sai de seu rosto. Às seis horas da noite, a blogueira termina de produzir o seu conteúdo. Está na hora de dar mais atenção pra Susi, que não a deixou de lado durante todo o dia.

Está cansada, porém feliz. Para Bruna, o seu trabalho é uma forma de retribuir todo o carinho de suas leitoras. Ela se esforça para gravar vídeos legais, produzir boas postagens em seu blog, respondendo cada comentário ou presenteando as seguidoras.

O dia foi longo. Bruna vai tomar um banho relaxante para depois receber o seu marido com as energias renovadas. E para alegrar o dia de sua amada, Abner trouxe brigadeiro, o doce favorito da blogueira. Está na hora de mais uma noite de sono, amanhã o dia será ainda mais corrido.

***

Triiiiim! São seis horas da manhã. Ainda sonolenta, fica na cama por mais cinco minutos até finalmente levantar para começar a sua rotina. Hoje será um grande dia, afinal, terá um evento importante e Bruna precisa estar impecável.

Finalmente chegou o dia do evento mais esperado por blogueiras e youtubers: a Beauty Fair, uma das maiores feiras de beleza do mundo. É nesse evento que a Bruna entra em contato com as marcas que gosta e que pode, futuramente, fechar algum trabalho.

Após se aprontar para mais um dia, Bruna pega seu carro e viaja duas horas para chegar em São Paulo. A capital paulista é um dos lugares que Bruna mais frequenta, pois tudo acontece lá desde eventos até reuniões.

O tempo passa rápido, a blogueira inicia o seu daily vlog - tipo de vídeo que mostra exatamente como foi o seu dia. O frio na barriga aumenta assim que vai chegando na capital, porque depois da feira terá show da funkeira Anitta.

Chegando na feira, a youtuber encontra diversas amigas e conversam animadas decidindo em quais estandes vão primeiro e questionando quais serão os lançamentos. Todas estavam esperando por esse dia.

Está na hora de entrar. O galpão é enorme, o chão da recepção é de mármore e existem diversas cabines para a retirada da credencial. Como produtora de conteúdo, Bruna pegou a credencial de imprensa. Nada melhor do que uma sala exclusiva para poder descansar e encontrar mais amigas.

Ela segue para a fila de um estande, aquele de sua marca favorita. Fica ali por alguns minutos, esperando o momento de ver as novidades. A ansiedade é tamanha que não há como descrever, apenas sentir.

Aaaaaah! Grita ao ver o lançamento da marca, um pincel de escova. Bruna olha cada detalhe dos produtos. Aproveita para tirar algumas fotos de tudo, ela precisa registrar todos os detalhes para mostrar depois a suas seguidoras.

Bruna passa o dia caminhando de estande em estande, encontrando amigas, conversando com as pessoas das marcas, tirando fotos, filmando e participando de workshops. Mas o cansaço não a impede de ficar animada sempre que lembra do show da Anitta.

Chegou a hora. A blogueira vai até o local para pegar sua pulseira, que é a entrada para o show. Está ansiosa. Segue para o mais perto do palco que consegue chegar, o lugar está lotado de influenciadores digitais. Os dançarinos começam a bailar e todo mundo levanta o celular ou as câmeras para gravar a apresentação.

Ela canta, dança, ri, grava, dança mais e canta ainda mais alto. Ufa, acabou. Foi maravilhoso. Bruna segue para a saída, está na hora de esperar seu marido que foi buscá-la de volta para casa. Na volta, ela fala sobre tudo o que aconteceu no seu dia para o Abner.

O dia foi bem produtivo e deu para conhecer todas as novidades, como tinha planejado, além de curtir um show incrível junto com suas amigas blogueiras. Ela já está pronta para dormir e descansar para os próximos dias.

28 de ago de 2015

Educação, uma opção para aumentar a segurança



De acordo com o Índice de Progresso Social (IPS), o Brasil está na 122º posição no ranking de segurança social. São mais de 130 países que participam desta pesquisa e a contagem feita é decrescente, ou seja, os países que estão nos primeiros lugares são os mais seguros.

A segurança pessoal é dividida em cinco tópicos, sendo eles taxa de homicídio, taxa de crimes violentos, percepção de criminalidade, terror político e morte no trânsito. Em todos estes seguimentos, o Brasil está relativamente mal e a junção de todos resulta a 35,55 pontos.

Os países com as necessidades humanas básicas e fundamentos de bem-estar mais baixos são os mais violentos, isso significa que se o país visasse aprimorar as necessidades básicas da população, provavelmente seria menos violento e teria um índice de desenvolvimento humano maior.

A Islândia, que está em primeiro lugar no ranking de segurança social, possui uma pontuação de 95 em necessidades humanas básicas e os fundamentos de bem-estar está com uma pontuação de 86,11. E o Iraque, o último lugar na pesquisa, está com 63,11 pontos em relação às necessidades humanas.

O demonstrativo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino (MDE) mostra que em 2014 o total de despesas foi de mais de R$61.500, relacionado ao ensino infantil, fundamental, médio, superior, ensino profissional não integrado ao ensino médio e outros.

Entretanto, ainda falta muito para o país ser menos violento e melhorar a parte de moradia, saneamento básico, educação entre outros seguimentos que estão na pesquisa do Índice de Progresso Social.

O governo precisa investir mais nas necessidades básicas e implementar uma cultura diferente na sua população para que consiga se desenvolver mais e consequentemente diminuir a violência do Brasil.

Porém, por conta da crise, o país teve que fazer reajustes fiscais e um dos cortes na economia foi na educação, ou seja, o investimento nessa área diminuiu e, portanto, a tendência da violência aumentar e a pontuação das necessidades humanas básicas diminuir é grande.

30 de out de 2014

O LUCRO É MENOR DO QUE APARENTA, MAS A FILA PARA ENTRAR NO MUNDO DO TRÁFICO É GRANDE



O tráfico de drogas fatura entre 316 e 633 milhões de reais por ano, aponta estudo efetuado em dezembro de 2008 pela Secretaria da Fazendo do Estado do Rio de Janeiro. Porém o lucro é de 130 milhões, menos rentável do que aparenta.

O dinheiro que vem do tráfico possui altos custos, como fornecimento de drogas, autoproteção, perdas por conta das apreensões policiais, por isso o lucro não é tão grande.

Além de todos esses custos, os traficantes gastam dinheiro para manter uma posição no "ambiente de trabalho", para ter uma boa aparência para seus clientes.

"É um dinheiro que vem fácil, mas também vai fácil", afirma o ex-traficante Marco Aurélio.

O lucro, no entanto, existe e a fila para entrar nesse meio é grande, pois se ganha dinheiro fácil, e quando se tem uma família que está envolvida com isso fica ainda mais fácil de entrar nesse mundo do tráfico. Esse é o caso do Marco Aurélio.

Mundo do crime

"O que leva uma pessoa a trabalhar como traficante é a própria facilidade de acesso ao dinheiro e, principalmente, o estilo de vida da sociedade atual. Visto que a cada dia a sociedade consumista cria novas necessidades 'supérfluas', gerando uma urgência em alcançar status", afirma a psicóloga Ana Vieira.

A vontade de manter o status faz com que o traficante queira manter-se nessa área, pois o negócio, por mais que não seja tão rentável com aparenta, alcança as expectativas do indivíduo.

"O traficante pode ser preso, mas ele volta ao tráfico, pois a lei favorece e o lucro vem fácil e rápido", diz o terceiro sargento Rocha. Por isso, voltar ao crime e permanecer nessa área é melhor.

O favorecimento oferecido pela lei e o querer lucrar faz com que o traficante volte para o mundo do crime sem ter medo de ser preso outra vez, ou de não vender, afinal o seu produto possui clientela.